terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Respeitem a minha diferença!


Apesar de eu estar desaparecida do blog, eu tenho visto indignada a onda de ataques a homossexuais em São Paulo, e graças a Deus também tenho visto a manifestação de pessoas importantes como o Dr. Dráuzio Varella, Arnaldo Jabor, do Presidente Lula, através do decreto que cria o Conselho Nacional LGBT e do reconhecimento pelo Estado da união homoafetiva seja pelo INSS ou pelo “Leão”. Também vi a homofobia sendo discutida abertamente nos meios de comunicação, em programas de televisão como o “Sem censura”, “Altas horas”, “Faustão” , “Fantástico”, além dos movimentos de outras mídias como Twitter, facebook e Orkut.


Eu vou fazer uma série de publicações sobre o assunto e com a opinião de jovens pelos blogs e também de pessoas importantes. Vou começar com um texto que eu li no blog insoonia :




A cama é sua

por Weslley Talaveira


Creio que todo mundo tem acompanhado o caso das agressões a homossexuais na Avenida Paulista, em São Paulo. Varias pessoas tem sido agredidas pelo simples fato de serem gays.

Acho que esse caso levanta uma discussão que há tempos vem sendo feita no Brasil: o preconceito. Não só contra homossexuais, mas o preconceito em si. Sou da opinião de que o preconceto nasce do sentimento de superioridade das pessoas, e do desejo desenfreado de fazer com que os outros concordem comigo. Explico: o sujeito acredita em algo e se acha acima de todos por acreditar naquilo, e luta com todas as forças para que todas as outras pessoas pensem igual a ele, e combate todos que pensam diferente.

Aos que vivem lutando contra a homossexualidade, que fazem discursos inflamados contra gays, que fazem piadinhas sem graça quando veem gente do mesmo sexo de mãos dadas na rua, aos desprezíveis babacas filhos de uma puta que saem agredindo gente inocente na rua por ser homossexual, faço uma pergunta: o que você tem a ver com o ato sexual de gente que você nem conhece? O que te importa se o cara leva pra cama uma mulher ou um homem? É você quem paga o motel dele? É você quem compra a camisinha que ele vai usar? Por que querer dizer a outros com quem devem transar?

Particularmente nunca tive o menor interesse em experiência homossexual, mas não é por isso que vou sair criticando quem sente tesão por uma pessoa do mesmo sexo. Sabe por que? A cama é sua, e você coloca nela quem você quer, seja do mesmo sexo, seja sexo oposto. Eu não tenho exatamente NADA a ver com a sua vida sexual. O fato de alguém transar com outro do mesmo sexo o faz uma pessoa má? Isso o torna louco? Um criminoso? NÃO! Ninguém é melhor ou pior por ser gay ou lésbica. Se é assim, seja feliz com tua preferência.

Então é o seguinte: vamos parar com essa babaquice de querer se meter até na vida sexual dos outros? Se ela gosta de mulher, que ela seja feliz assim. “Faça o que te faz bem” costumo dizer. Querem adotar crianças? Adotem, Quer construir uma vida juntas? Construam. E outra: não tenham medo de assumir, não. Quer andar de mãos dadas? Ande! Quer se beijar? Beije. Tá mais do que na hora de abrir a cabeça e entender que cada um tem sua vida, e sua personalidade.

O Brasil só vai ser, de fato, um país livre quando todos tiverem liberdade para agir de acordo com suas conveniências.

Bái! @wesleytalaveira
Siga-nos no Twitter e fique por dentro de muitas novidades!

2 comentários:

Akee Yasu disse...

Verdade! é muito bom que as pessoas e a tv estão mostrando que não existimos somente no dia da parada gay!!

Lindo blog!

Tibet disse...

Mas precisamos ficar de olho bem aberto para esses pastores evangélicos ( e não são todos homofóbicos não viu!) e lob na politica de um pais LAICO onde campanhas invisiveis vão tomando força e se infiltrando pelas sombras... é assim que começam os movimentos de caça aos diferentes... a História esta aí com muitos exemplos! precisamos estar atentos sempre!